Blog

Piauí e Acre lideram o ranking dos 5 estados com maior número de leitos pediátricos por mil crianças no Brasil

Exceed Americas, empresa especializada em estudos, dados de mercado, estatísticas e consultoria no mercado de saúde, revela os resultados de seu ranking nacional de leitos pediátricos por mil habitantes para junho de 2018.

As análises publicadas no BI Saúde Brasil foram resultado de um extenso trabalho de coleta, transformação e relacionamento de dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde do Ministério da Saúde (CNES)Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e estimativas populacionais de julho de 2017 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que possibilitaram mapear o cenário atual brasileiro.

Dados de março de 2018 apontavam para uma desativação de mais de 14 mil leitos SUS entre 2014 e 2018, conforme relatado em um dos artigos publicados pela Exceed. Entretanto, em junho de 2018, esta diferença cresceu para 16.700. Como 31% destes foram pediátricos, se fez necessária uma avaliação mais detalhada dos dados da pediatria.

RANKING REGIONAL DE LEITOS PEDIÁTRICOS POR MIL

Há, no Brasil, um total de 50.583 leitos pediátricos (cirúrgicos e clínicos) para 31.3 milhões de crianças de zero a nove anos de idade. Isto representa um índice médio nacional de 1,61 leitos pediátricos por mil habitantes desta faixa etária. As regiões que se destacaram acima da média do país são o Sul, o Centro-Oeste e o Nordeste com, respectivamente, 1,83; 1,81 e 1,77 vagas hospitalares para cada mil crianças. Abaixo da média Brasil vêm a região Norte, com índice de 1,49 e a região Sudeste, que apresenta o pior resultado, com 1,41 leitos pediátricos por mil crianças.

RANKING ESTADUAL DE LEITOS PEDIÁTRICOS POR MIL – SUS VS. PRIVADO

Dentre os estados com a maior média de leitos na rede pública do SUS para crianças de zero a nove anos de idade, se destacam o Piauí, com 2,34 vagas hospitalares para cada mil crianças; Rio Grande do Sul (2,08); Paraná (2,07); Ceará (1,98) e Paraíba (1,93). Já as cinco médias mais baixas no ranking foram de Roraima (0,61); Sergipe (0,76); Acre (0,99); Amazonas (1,23) e Santa Catarina (1,25). É valido destacar que Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo ficaram, respectivamente, na 13ª, 17ª e 21ª posições no ranking com 1,57; 1,49 e 1,37 leitos pediátricos a cada mil crianças na rede pública.

No serviço de saúde particular o cenário nacional não se modifica. A média Brasil é 1,67 leitos particulares por mil crianças com plano de saúde e de 1,60 leitos SUS por mil crianças sem plano de saúde. Apenas alguns estados apresentam indicadores acima da média do país – os cinco melhor classificados são: Acre (6,45); Pará (4,81); Paraíba (4,15); Alagoas (3,53) e Goiás (3,39). Dos 14 estados que apresentam índices abaixo da média Brasil no atendimento privado, os cinco com os piores resultados foram Roraima (0,40); Rio Grande do Norte (0,64); Distrito Federal (0,77); Espirito Santo (0,91) e Amazonas (0,95). O Rio de Janeiro e São Paulo apresentaram, respectivamente, índices de 1,56 e 1,31.

UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAIS 

A Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a média ideal é de quatro leitos de UTI Neonatal a cada mil crianças nascidas vivas. A entidade aponta que mais de três mil unidades de terapia intensiva neonatais deveriam ser criadas para suprir a demanda de bebês que nascem antes de 37 semanas de gestação. Uma estimativa da SBP afirma que, por hora, nascem cerca de 40 bebês prematuros, o que equivale a 960 crianças por dia que necessitam de cuidados especiais em UTIs equipadas.

O SUS possui 4,5 mil vagas de UTI neonatal em todo o território nacional, com um indicador de 1,5 para cada mil crianças, distribuídos em 27 unidades federais, porém 18 dessas estão abaixo da média. A região Norte apresenta um quadro ainda mais grave, com 1,1 leito para cada mil bebês de até 12 semanas de vida.

Uma nota publicada pelo Ministério da Saúde argumenta que, nos últimos anos, ocorreu um aumento de 10% nos leitos em UTIs neonatais no SUS, sendo que a quantidade é definida pelos estados e municípios responsáveis pela realocação da verba.

É possível ter acesso a esses e outros dados e estudos do setor de saúde no BI Saúde Brasil, da Exceed. O acesso à ferramenta também contempla uma consultoria completa de negócios com oportunidades de investimentos, realizada por uma equipe de especialistas com décadas de expertise no mercado.

 

Fontes:

Estadão: Em seis anos, País desativa 10,1 mil leitos pediátricos na rede pública

Rádio Agência Nacional: Brasil tem déficit de três mil leitos de UTI neonatais, revela estudo

Tags:

EXCEED AMERICAS - All Rights Reserved  
São Paulo | Brasil | +55 (11) 4890-2208

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

Você cancelou sua assinatura anterior e esta temporariamente sem assinatura ativa. Por favor, finalize seu cadastro no plano Free sem nenhum custo imediatamente clicando aqui!